fbpx

empreendendo com alma post

Confissões de uma emagrecedora de mentes que é empreendedora

Carol Tomazetti
Escrito por Carol Tomazetti
baixe aí gratuitamente :::

Produtividade para Criativas e Empreendedoras - o guia completo | ebook

O que que tem a ver emagrecer mentes com o empreendedorismo?

Bom, quando entendemos e compreendemos nossos comportamentos em uma área da nossa vida, conseguimos aplicar os mesmos fundamentos em qualquer área da nossa vida. 

Por exemplo, se você é bagunçada, é muito provável que seja bagunçada em todas as áreas da sua vida. Se você aprende a se organizar financeiramente, automaticamente você já começa a aplicar essa ogranização em várias áreas da sua vida.

Eu vou te dar aqui o exemplo do emagrecimento porque ele está presente no nosso dia a dia e vai ser bem fácil compreender a metáfora e como você pode aplicar em outras áreas da sua vida, como na área profissional.

Eu quero trazer aqui o paralelo da mudança de sentimentos e comportamentos em relação ao emagrecimento, para que você possa fazer o mesmo com o seu negócio.

Depois que meu filho nasceu, eu enogrdei muito. Isso mesmo, não engordei na gravidez e engordei depois que ele nasceu. Passei por um período complexo e triste, a comida era minha única fonte de prazer. Eu comia sem ver. Toda a minha tristeza, toda a minha carência era descontada na comida. 

Toda a gordura que estava no meu corpo estava me protegendo contra a tristeza que eu estava passando. Quanto mais triste, mais eu comia para me proteger.

Quando eu superei essa fase, logo eu já queria voltar para meu corpo ideal. Toda aquela gordura muito me incomodava porque ela era pesada e eu gostava de me sentir leve e cheia de energia.

O primeiro passo para conseguir emagrecer era identificar as histórias que eu contava para mim sobre ter um corpo ideal e sobre o emagrecimento.

Essa questão de ter um corpo lindo e maravilhoso, com os padrões estéticos que são impostos para nós desde quando nascemos foi a questão mais difícil de trabalhar. Porque desde pequena, eu morei em um mundo que me dizia que mulher que tem barriga não ia casar, quem era gorda jamais teria um namorado, quem estava acima do peso jamais teria sucesso. 

Todas as histórias que você conta para você são as verdades que modelam o seu mundo. 

O grande ponto é que essas histórias são roteiros invisíveis do mundo. Se você não sabe o que são os roteiros invisíveis do mundo, eu vou te contar: são as verdades aparentes que dizem que são verdades e que você as levam dentro de você sem se quer questionar se são verdades. E dessa forma, você cria o seu mundo baseadas em verdades que nem são verdades. 

Steve Jobs em seu famoso discurso de Standford disse mais ou menos assim: é libertador ter a consciência de que a realidade que você vive hoje foi criada por pessoas não mais inteligentes que você. Ele estava falando dos roteiros invisíveis do mundo, que são verdades criadas por pessoas não mais inteligenes que você. 

Talvez um dia, essas verdades poderiam ter sido verdades e isso não quer dizer que elas servem para você.

O grande exemplo é essa questão de imagem corporal:

Quem foi que disse que se eu estiver acima do meu peso não sou merecedora de amor?

Quem foi que disse que a forma do meu corpo é indício de sucesso?

São tão absurdas né?

Mesmo assim, eu estava sofrendo justamente porque, inconscientemente, eu acreditava que eu tinha que estar no meu peso para me sentir linda, maravilhosa, gostosa, amada e com sucesso.

O primeiro passo de qualquer tipo de mudança é: sempre questionar as histórias que você conta para você mesmo.

Depois, para que eu pudesse emagrecer eu comecei a trabalhar com a interação corpo e mente. Porque nossos somos seres completamente duais. E a maior dualidade que temos é a nossa mente e nosso corpo. Um tem efeito total sobre o outro. 

Quer mudar seu corpo? Você pode trabalhar o seu corpo e sua mente. 

Quer mudar a sua mente? Você pode trabalhar a mente e o corpo.

Eu era uma preguiçosa de carteirinha. Falar em fazer exercícios e eu já tinha uma lista de desculpas para não fazê-los. Só que o mais interessante é que: quando mais preguiça eu tenho, menos energia eu tenho. E existem duas formas de ativar a energia: pela mente e pelo corpo. Só que minha mente já estava preguiçosa, então era preciso mexer o esqueleto.

E eu voltei a correr no parque. Porque eu simplesmente amo correr.

A próxima história que eu ficava contando para mim era que: quebrei a dieta ou não fiz o exercício do dia, então fudeu geral. Era como se fosse um grande fracasso e eu estivesse perdendo algo. 

E todas as vezes que focamos na perda, que estamos perdendo algo, estamos gerando sentimentos de escassez. E sentimentos de escassez geram mais escassez e geram mais histórias sobre o fracasso e sobre o merecimento.

Quem sou eu mesmo para levar tudo isso a sério?

É claro que eu não vou conseguir fazer isso, eu não consigo fazer nada direito.

Lógico que eu quebrei a dieta, eu não consigo levar nada a sério.

A melhor forma que eu consegui de quebrar essas historinhas que eu ficava contando sobre mim era mudar o meu próprio referencial. Em outras palavras, meu objetivo deixou de ser emagrecer 10 kilos no mês, ou vestir número 40 mês que vem. 

Primeiro porque esse tipo de objetivo é externo e não temos controle sobre o externo, nosso controle é apenas como reagimos sobre o mundo externo. Segundo, porque nosso corpo é um sistema não linear. Você não consegue garantir certos tipos de resultados tão precisos, existem diversas variáveis nesse processo. 

Eu estava focando primeiro na perfeição. Então, me comprometi a focar no progresso. O progresso de aparecer 3 vezes na semana para correr. Veja que meu objetivo não era correr por uma hora, era primeiro de formar o hábito de sair de casa para fazer exercícios. Porque essa era a parte mais díficil. A maior resistência estava um segundo antes de ir fazer exercícios:

Será que vou mesmo correr? Está tão gostoso aqui em casa brincando com o Jão.

Então, meu ritmo de corrida começou a variar de acordo com a minha energia do dia. Se eu estava muito animada, eu corria. Se eu não estava animada, eu andava. 

Só de fazer essa mudança de referencial, minha presença nos exercícios aumentou para 90%. O objetivo era me energizar enquanto ia para o parque. Veja que meu objetivo era interno, estava focado na forma que eu ia me sentir com os exercícios.

Dessa forma, eu tirei o foco natural da perfeição e foquei no progresso. Pelo simples fato de priorizar meu me sentir bem.

E cada vez  que eu completava a minha tarefa de me sentir bem, eu tinha uma vitória. Porque cada vez que reconhecemos algo bom em nós, nós estamos focando onde realmente está funcionando. 

Nossa mente imediatamente começa a focar nessa boa energia para continuar o reconhecimento. Então, eu já estava me sentindo muito bem e energizada no meu processo.

Eu não vou mentir para você. Cogitei várias vezes tomar remédio para emagrecer. Porque dói mudar, a ansiedade dói, a vontade de mudanças rápidas doem.

É mais fácil tomar o remédio, tomar uma anestesia, para não doer. A parte ruim de tomar o remédio é que se estamos anestesiados, não vemos, não aprendemos o caminho da mudança. Você muda sem dor e não sabe o caminho da mudança.

Então, para voltar ao que era é rápido e fácil também. Quando você menos vê, já está de volta à estaca zero. E  pior… não sabe como chegar de novo ao objetivo.

A parte mais difícil para emagrecer é o primeiro passo: mudar as histórias que contamos para nós mesmos. Porque o pano de fundo disso é a mudança de hábitos e de pensamentos. 

Se não há mudança de hábitos e pensamentos, os mesmos comportamentos continuam e você continua no mesmo lugar.

Eu dei essa volta toda para te mostrar que tudo começa nos nossos sentimentos. É a forma que você se sente com as histórias que você escuta, é a forma que você se sente quando deseja alguma coisa, é a forma que quer se sentir quando alcançar algum determinado objetivo.

Porque sentimentos geram emoções, que geram pensamentos, que geram comportamentos que geram suas ações e resultados.

E existem basicamente duas formas para você mudar esses sentimentos. Vou falar aqui em mudança de sentimentos porque quando você muda seus sentimentos, você muda a cadeia completa pela raíz. Então, você pode mudar por meditações ou por repetição.

Se tem 20 anos que você se comporta de alguma forma e tem um resultado por ele, tem 20 anos que você repete as mesmas histórias na sua mente. Você viciou nos sentimentos gerados, que geraram por fim esses seus resultados.

O problema é que, quando a gente toma consciência, de que queremos uma mudança e queremos agora, quremos do dia para a noite. E você pode ficar repetindo para você, para que você aprenda ao longo prazo os novos sentimentos. Ou você pode meditar.

Aliás… todas as vezes que ficar difícil demais. Medite.

Medite. E visualize. Visualize até que se torne.

A meditação ajuda a visualizar seu destino final e isso ajuda seu corpo a sentir a mudança, a entender e a ir de encontro com ela. A meditação é uma forma bem rápida de aprendizagem porque ela auta diretamente no seu inconsciente. 

Então, ficou difícil: medite. E medite até que se torne.

Nessa meditação, se veja no corpo que deseja, nos hábitos saudáveis que quer criar para o resto da sua vida, como exercícios, como frutas e verduras, como evitar comidas fast food… E assim, agindo diretamente no seu inconsciente, a mudança fica bem mais fácil e rápida.

Medite também essas intenções:

Como quer realmente se sentir ao ficar no corpo que deseja?

Quais são esses sentimentos que você está buscando?

O que você pode fazer hoje para gerar esses sentimentos dentro de você?

O ponto de mudança está quando você realmente entende o que está buscando. Porque você não está em busca do objetivo em si. Você está buscando aquele objetivo porque ele vai te fazer sentir da forma que quer lá no fundo da sua alma. E cultivar esses sentimentos e hábitos todos os dias, vão te levar rapidamente ao reusltado desejado.

Eu fiz essa metáfora aqui para o emagrecimento. Porque acredito que fica mais fácil de entender esse processo de mudança. Mas ele serve tão bem para o empreendedorismo também.

Porque empreender não é sobre abrir um negócio, ou encontrar a melhor ideia e a mais lucrativa de negócios. É sobre como você quer se sentir com ele, quais pensamentos te darão poder para ter energia para seguir com seu negócio, quais hábitos saudáveis vão te ajudar todos os dias a mantê-lo de pé.

Fez sentido para você? 

Eaí,

qual o conhecimento que você vai levar para ação? Me conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *